Copyright © Um Tesouro no Céu
Design by Dzignine
domingo, 7 de fevereiro de 2010

Azedume

O que me estava fazendo “um homem azedo?”. Não só azedo, mas me fazendo um “azedador” em quase todos os lugares e com quase todas as pessoas?

O dicionário Aurélio define “azedo” como “o que é ácido ao paladar e ao olfato”. Diz-se do alimento que a fermentação estragou, azedado, acre (áspero, ríspido, violento), e acerbo (cruel, duro, difícil, mordaz, amargoso). Figuradamente, significa alguém mal humorado, agastado, irritado, violento, áspero, desabrido (rude, grosseiro, áspero, violento, insolente e inconveniente). Popularmente amargo ou amargoso. “Azedume” é definido como “acidez, acrimônia (azedar-se, acidificar-se), irritação, exasperação (exasperar: tornar áspero, enfurecido, irritar muito, encolerizar, enfurecer, etc)”.

Não, não é aula de português... Quero, apenas, deixar falar meu coração e compartilhar com o amado leitor uma experiência por mim vivida ha pouco tempo.

Minha mulher normalmente é uma pessoa equilibrada, sensata, calma e tranqüila – além de ser uma pessoa amiga e muito amável. Ela irradia isso constante e diariamente. Classifico-a de mulher de Deus, de fato! Estamos casados ha seis anos e raramente a vi tão áspera, brava e irritada como quando ela me disse com todas as letras: “você está um homem azedo”. Imagine o choque que levei... Fiquei sem resposta e ação.

Meu pensamento imediato foi: com que autoridade ou permissão ela me está falando desta maneira... Será que perdeu o respeito por mim? Será que ficou louca? Ou, sendo serva de Deus como é, será que não está na unção e inspiração do Espírito Santo sendo a Sua própria voz para me conduzir de volta à mansidão -que é uma das nove características do Seu fruto?

Sabe? Não foi nada fácil, para um “machão” como eu, admitir que ela estava coberta de razão. Para admitir e assumir que eu estava azedo foi preciso alguns meses de introspecção, oração análise e policiamento no meu comportamento, sobretudo, em minhas reações. Imagine que decepção comigo mesmo ao constatar que ela estava com a razão. Eu queria morrer de vergonha – eu que me julgava um homem manso e humilde (e o era... só no coração porque no resto, que decepção comigo mesmo). E mais: como foi horrível conviver com a expressão “você está um homem azedo!...”.

O que me estava fazendo “um homem azedo?”. Não só azedo, mas me fazendo um “azedador” em quase todos os lugares e com quase todas as pessoas? Que focos de tensão havia dentro de mim para me fazer parecer o que não sou?

Descobri que as lutas, as provações, as calúnias, as perseguições, as expectativas frustradas, as esperanças adiadas e até as demoras de Deus no cumprimento das Suas promessas em minha vida e a ânsia de vê-las todas já cumpridas e executadas, inclusive, ministerialmente me estavam fazendo ansioso e “um homem azedo”.

Já não estava vendo a beleza das flores e nem a pureza do sorriso de uma criança; não estava curtindo um bom prato de feijão com arroz, batata frita e um bife bem passado com um pouquinho de gordura; estava sem prazer em sentar-me num sofá de minha casa e ver um pouco de televisão, ouvir um som, conversar ou meditar até mesmo na Palavra de Deus. Não estava “curtindo” mais nada – nem a beleza, amor e carinho da mulher que amo. Azedo! Não só estava azedo comigo mesmo, mas, também, estava provocando azedume nos outros. E como demora “cair a ficha”, não? Como dou trabalho para o Espírito Santo! Ainda bem que Ele não ficou azedo comigo. Glória A Deus!

Sabe o que mais? Espero ter aprendido a lição de uma vez por todas para que a situação não ser repita. Ufa! Que assim seja.

Que este tratamento e experiência vivida e aprendida com o Espírito Santo possa abençoa-lo, levando-o a refletir sobre os seus focos de tensão pessoal com seu cônjuge, com sua vida conjugal, com seus filhos, sua família num todo, na vida social, nos negócios, na sua igreja ou religião e, sobretudo, no seu relacionamento com Deus, fazendo-o tomar a posição correta e esperada por Ele para sua alegria e paz interior e louvor e glória do Senhor Jesus. É minha oração. Amém! 

Extraído do site:
http://www.netgospel.com.br/home/index.php

0 comentários:

Postar um comentário

Recent Visitors

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...