Copyright © Um Tesouro no Céu
Design by Dzignine
quarta-feira, 31 de março de 2010

SE ISSO NÃO FOR AMOR...


O QUE VOCÊ ACHA? VEJA O VIDEO:

  " Jesus Cristo, a Fiel Testemunha... Àquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos  pecados"   (Ap 1.5)
                                                                                                                                                               
         Estamos no limiar da “Semana Santa”. Lembro-me quando era criança quando meus pais aplicavam uma acentuada dieta restritiva a alguns alimentos (abstinência de carne vermelha e outros produtos) e, sobretudo, um conjunto de ações com forte cunho introspectivo visando contrição, (não andar sem camisa, não dizer palavrões, não varrer casa...) levando-nos a reflexão em torno da “Sexta feira da paixão”.

Passadas algumas décadas, observa-se que maior parte destes conceitos desapareceu e hoje a “semana santa” fica caracterizada pelo feriado que sucede o carnaval, e especialmente pelos ovos de chocolate da páscoa.

            Nesta reflexão não cabe aqui questionar se a conduta de meus pais estava certa ou se era algo apenas mecânico ou estético.

           Quero sim refletir com meus irmãos o que a Bíblia diz sobre aquela semana, que foi cunhada como “semana santa” que tem o seu ápice na sexta feira que é denominada “sexta feira da paixão”.

A semana santa é caracterizada pelo amor, daí o nome “paixão”, talvez para conotar uma expressão romântica.

Destaco aqui a palavra amor (“agapn” ágape no grego) que expressa um amor sacrificial que não considera as qualidades ou defeitos da pessoa amada, mas que enfoca a ação daquele que está amando. Algo retratado por Paulo aos crentes de Roma, quando diz que “Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores”. Rm 5.8. A nossa vida pregressa era repugnante aos olhos do Senhor e nada em nós reclamava sua atenção. Como bem disse  Paulo escrevendo aos crentes de Éfeso, “entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira”. (Ef 2.3), mas, como Deus é o Pai das misericórdias (2Co1.3), Ele nos amou sacrificialmente conforme sustentou o apóstolo Paulo nos textos acima, e Jesus ao rabino Nicodemos, “Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu único filho para que todo aquele que Nele crer, não pereça mas tenha a vida eterna”. Aleluia! por tão grande e incomensurável amor.

            O texto de apocalipse diz que “Jesus Cristo nos ama e que pelo seu sangue nos libertou dos nossos pecados”.  Neste texto ressalta-se também a palavra resgate  (“lutron” lutron no grego) que caracteriza o preço que o senhor pagava pelo resgate de um escravo fugitivo.

O senhor de escravos se desfazia de grandes somas de dinheiros (valores) para resgatar um escravo. Era lhe necessário pagar um preço.

Tomando como base este principio, João, o apóstolo do amor, diz que Jesus nos ama e por isso nos libertou dos nossos pecados dos quais éramos escravos. Assim, Jesus pagou o preço por nós, e este preço foi elevadíssimo resultando na sua morte ali na cruz do calvário.

          Este preço conforme diz o apostolo João foi o seu sangue derramado na cruz naquela sexta-feira, quando o sol parou e os céus foram tomados por densas nuvens negras. Veja o flagrante do Evangelista Lucas em seu Evangelho:

“Já era quase a hora sexta, e, escurecendo-se o sol, houve trevas   sobre toda a terra até à hora nona. E rasgou-se pelo meio o véu do santuário. Então, Jesus clamou em alta voz: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito! E, dito isto, expirou. Vendo o centurião o que tinha acontecido, deu glória a Deus, dizendo: Verdadeiramente, este homem era justo. E todas as multidões reunidas para este espetáculo, vendo o que havia acontecido, retiraram-se a lamentar, batendo nos peitos. Entretanto, todos os conhecidos de Jesus e as mulheres que o tinham seguido desde a Galiléia permaneceram a contemplar de   longe estas coisas.” Lc 23.44-49.

O seu  amor por nós foi algo da mais ressaltado louvor. Ficamos silenciados diante de tal ato de GRAÇA, como diz Yancey em seu livro Maravilhosa Graça “vale muito para quem dá e quase nada para quem recebe”. Por mais que me esforce para explicar este amor, tais esforços ficam prejudicados porque excede o entendimento humano.

Só sabemos que naquela sexta feira do amor, Cristo expressou o quanto Ele nos ama. Ele derramou seu sangue por nós; “Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor” (Cl 1.13). Aleluia!!!!

Assim, a Ele nossa gratidão por tão grande amor. Obrigado Jesus pela semana santa. Obrigado Jesus pela sexta-feira da paixão, sexta-feira do Amor...

 Pastor Luis Carlos, membro da Igreja Batista Memorial em Aiquara, bacharel em Teologia pelo CETEVAP - São José dos Campos - SP. É presidente da Igreja desde 15 de fevereiro de 2004.
sexta-feira, 26 de março de 2010

A Mesa do Velho Avô



Um frágil e velho homem foi viver com seu filho, nora, e o seu neto mais velho de quatro anos. As mãos do velho homem tremiam, e a vista era embaralhada, e o seu passo era hesitante.

A família comeu junto à mesa. Mas as mãos trêmulas do avô ancião e sua visão falhando, tornou difícil o ato de comer. Ervilhas rolaram da colher dele sobre o chão. Quando ele pegou seu copo, o leite derramou na toalha da mesa. A bagunça irritou fortemente seu filho e nora:

"Nós temos que fazer algo sobre o Vovô," disse o filho.
"Já tivemos bastante do seu leite derramado, ouvindo-o comer ruidosamente, e muita de sua comida no chão".

Assim o marido e esposa prepararam uma mesa pequena no canto da sala.

Lá , Vovô comia sozinho enquanto o resto da família desfrutava do jantar.

Desde que o Avô tinha quebrado um ou dois pratos, a comida dele foi servida em uma tigela de madeira. Quando a família olhava de relance na direção do Vovô, às vezes percebiam nele uma lágrima em seu olho por estar só.

Ainda assim, as únicas palavras que o casal tinha para ele eram advertências acentuadas quando ele derrubava um garfo ou derramava comida.

O neto mais velho de quatro anos assistiu tudo em silêncio. Uma noite antes da ceia, o pai notou que seu filho estava brincando no chão com sucatas de madeira. Ele perguntou docemente para a criança, "O que você está fazendo? "Da mesma maneira dócil , o menino respondeu: " Oh, eu estou fabricando uma pequena tigela para Você e Mamãe comerem sua comida quando eu crescer." O neto mais velho de quatro anos sorriu e voltou a trabalhar.

As palavras do menino golpearam os pais que ficaram mudos. Então lágrimas começaram a fluir em seus rostos.

Entretanto nenhuma palavra foi falada, ambos souberam o que devia ser feito. Aquela noite o marido pegou a mão do Vovô e com suavidade o conduziu para a mesa familiar.

Para o resto de seus dias de vida ele comeu sempre com a família. E por alguma razão, nem marido nem esposa pareciam se preocupar mais quando um garfo era derrubado, ou leite derramado, ou que a toalha da mesa tinha sujado.

As crianças são notavelmente perceptivas. Os olhos delas sempre observam, suas orelhas sempre escutam, e suas mentes sempre processam as mensagens que elas absorvem. Se elas nos vêem pacientemente providenciar uma atmosfera feliz em nossa casa, para nossos familiares, eles imitarão aquela atitude para o resto de suas vidas.

O pai sábio percebe isso diariamente, que o alicerce está sendo construído para o futuro da criança.

Sejamos sábios construtores de bons exemplos de comportamento de vida em nossas funções. (leia Dt. 6)

Lembre-se também do Mandamento que Deus nos deixou : "Honra o teu pai e tua mãe para que se ......" ( Êx. 20:12 )


Extraído do site: http://www.jesusvoltara.com.br
domingo, 21 de março de 2010

COMO VOCÊ SE SENTE?


Se existe uma coisa maravilhosa nesta vida é esta: você não tem que necessariamente viver como prisioneiro das suas circunstâncias. Não importa o que esteja acontecendo ao seu redor, você pode decidir sentir-se da maneira que você deseja se sentir. Norman Vincent Peal


Como você se sente hoje? Você se sente da maneira como você deseja se sentir. Você deseja se sentir frustrado, chateado, desencorajado e irado? Então você encontrará no dia de hoje muitas razões para sentir todas essas emoções negativas.

Ou você prefere se sentir vivo, entusiasmado, apaixonado e regozijante? Se este é o caso, então você poderá encontrar durante todo o decorrer desse dia, razões mais do que suficientes para se sentir dessa maneira.

Sim, você pode optar por se sentir um trapo e depois culpar os seus sentimentos pelas coisas ruins com as quais você teve que lidar. Mas ao fazer isso, você perderá uma grande oportunidade de experimentar o melhor que este dia pode lhe oferecer. Tome a decisão de ser responsável pelos seus próprios sentimentos e focalize-os em algo positivo e numa direção muito melhor. Ao tomar tal atitude, não importa o que lhe vier a acontecer, com certeza você terá um grande dia - um dia a mais que Deus está lhe dando, um dia cheio de preciosos valores que pode ser marcado por um genuíno espírito de gratidão.

Para Meditação:

Em Deus, cuja palavra eu louvo, no Senhor, cuja palavra eu louvo, neste Deus ponho a minha confiança e nada temerei. Que me pode fazer o homem? Salmos 56:10-1

Nélio DaSilva
Fonte: CLIQUE AQUI
domingo, 7 de março de 2010

Choro de Mulher

VEJA O VIDEO:



Eclesiastes 3 diz:

Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu....(verso1)
Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar; (verso 4)

Sempre penso que as lágrimas preparam o caminho para o sorriso. Quando bem compreendido, no contexto da existência, o choro pode ser uma força impulsionadora da vitória, e as lágrimas, o combustível da nossa esperança. O importante é compreendê-las como partes de um momento que vai passar.

 "O pranto pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã."(Salmo 30:5)

Buscai ao Senhor enquanto se pode achar,
invocai-o enquanto está perto."
(Jr 29:13)
segunda-feira, 1 de março de 2010

Os amores impossíveis



Um filme recente - agora em sua segunda edição - fala do amor entre uma humana e seres mitológicos, como vampiros e lobisomens. É uma ficção e não vamos comentar a questão em si.

Não sendo um crítico da sétima arte, considero - como leigo - que o sucesso da história se centra num aspecto pra lá de conhecido... o AMOR. Já ouviu falar dele?

Sim, o velho e saudoso amor, cuja expressão maior está no genial William Shakespeare (1564-1616), mentor de Romeu e Julieta, protagonistas de uma afeição profunda e impossível.


Perguntei a um sábio,
a diferença que havia
entre amor e amizade,
ele me disse essa verdade...
O Amor é mais sensível,
a Amizade mais segura.
O Amor nos dá asas,
a Amizade o chão.

William Shakespeare


Será que de lá pra cá as coisas mudaram? Parece que não... E prova disso é o sucesso bombástico dos vampiros.

E especificamente quanto ao AMOR e suas consequências, tudo parece indicar que a vida traça seus próprios caminhos, e que as alegrias, sofrimentos, derrotas e vitórias são inevitáveis, ou seja, a vida comanda e nós somos atrelados a ela.

Mas tal idéia não me satisfaz. Como um leitor da Bíblia Sagrada, crendo que a realidade do poder pertencer a Deus (Sal 62:11), tendo a pensar diferente.

A vida terrena - e a subseqüente vida eterna - dependem de escolhas que nós fazemos, sendo falaciosa a idéia de que “fomos tracionados para uma situação” como alguém levado pela correnteza de um rio.


As Escrituras nos falam de uma escolha colocada diante do povo de Israel, por Deus, que permanece inteiramente válida nos dias de hoje.

Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição. Agora escolhe a vida, para que vivas, tu e os teus filhos, (Deuteronômio 30:19).

Um ano vai outro vem e junto nos traz oportunidades e escolhas. Se optar pela verdade e pela honestidade terá paz, se resolver perdoar e amar, encontrará saúde, se respeitar à voz de Deus, terá prosperidade e será feliz.


Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, ...


...Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.

Será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, ...Tudo o que fizer prosperará.... (Salmos 1:1-6).


Sobre o amor, lembre-se de que ele não é efêmero nem instantâneo. O amor exige entrega, carinho, participação. É uma ESCOLHA que devemos fazer, todos os dias.

Texto de autoria de Pastor Elcio Lourenço.

www.pastorelcio.com

Recent Visitors

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...